Dica do Leo! Vida útil de mangueiras hidráulicas

19/02/2020

Mangueiras hidráulicas (a granel ou montadas) possuem uma vida útil limitada, dependendo das condições de serviço a que elas forem submetidas. Uma aplicação muito severa resultará em uma menor vida útil, enquanto que uma aplicação menos exigente resultará em uma maior vida útil para a mesma mangueira.

Submeter mangueiras e conjuntos de mangueira a condições mais severas do que os limites recomendados reduz significativamente a vida útil. A exposição a parâmetros próximos aos limites recomendados como por exemplo, constantemente na temperatura operacional máxima recomendada, uso na pressão máxima nominal de funcionamento e raio mínimo de curvatura, etc., reduzirão também a vida útil.

A vida útil real de um conjunto de mangueira depende de diversos fatores:

Seleção de mangueiras e configuração: analise cuidadosamente cada sistema e aplicação: projete (configurações de instalação) e selecione a mangueira adequada e respectivos componentes para atender aos requisitos de desempenho do sistema e de vida útil da mangueira.

Temperaturas operacionais: no caso de temperaturas operacionais específicas, consulte a temperatura máxima do fluido sendo conduzido. Condições de calor elevado podem ter um efeito adverso sobre as mangueiras devido à degradação da borracha, a qual limitará a utilidade da mangueira e reduzirá a retenção da conexão. O uso contínuo em temperaturas máximas juntamente com pressões máximas sempre devem ser evitadas.

Picos de pressão: geralmente, todos os sistemas hidráulicos desenvolvem picos de pressão (aumento rápido de pressão), que pode ultrapassar também o ajuste de válvulas de alívio. Expor uma mangueira a picos de pressão acima da pressão máxima operacional reduzirá a vida útil da mangueira.

Temperaturas ambientes e condições ambientais: temperaturas ambientes muito altas ou baixas afetam o material da cobertura, a estrutura da mangueira e suas conexões, reduzindo assim a vida útil do conjunto, causada pelo envelhecimento de borrachas, afetando também a capacidade de retenção da conexão. Da mesma forma, condições ambientais severas, como exposição à luz solar, poeira, contatos abrasivos com pedras sobre o solo, precisam ser consideradas para uma seleção correta da mangueira e seus componentes.

Resistência química:  considere a resistência química do composto do tubo com o fluido de trabalho, obedecendo as recomendações da tabela de compatibilidade química. Também, conexões e o’rings precisam ser considerados na análise de resistência química.

Terminais para mangueiras: Ao selecionar os terminais das mangueiras, considere o desempenho nominal do terminal para evitar potenciais vazamentos.

Manutenção: mangueiras montadas em operação devem ser inspecionadas frequentemente por vazamento, dobra, abrasão, corrosão ou quaisquer outros sinais de desgaste ou danos. Mangueira gastas ou danificadas devem ser trocados imediatamente.

Eventuais falhas devido a critérios inadequados de seleção para os componentes, instalação e manutenção, podem resultar em ferimentos pessoais e/ou danos aos equipamentos. Mangueiras montadas precisam ser previamente selecionadas de acordo com as orientações detalhadas fornecidas pelo fabricante. Além disso, devem ser regularmente inspecionados de acordo com o programa de manutenção preventiva dos equipamentos. Mangueiras montadas que apresentam sinais de desgaste ou dano devem ser trocados imediatamente, os critérios para avaliar mangueiras montadas e a sua eventual troca são sinais de deterioração, como por exemplo:

• Vazamentos em mangueiras ou terminal;

• Cobertura danificada ou cortada;

• Reforço da mangueira exposto;

• Mangueira dobrada, esmagada, achatada ou torcida;

• Mangueira dura, rígida, rachada pelo calor ou carbonizada;

• Cobertura com bolhas, mole, degradada ou solta;

• Terminais rachados, danificados ou bem corroídos;

• Deslocamento entre o terminal e a mangueira, etc.