Dica do Leo! Fluidos para sistemas hidráulicos.

03/10/2019

 

O fluido hidráulico é o elemento vital de um sistema hidráulico industrial. Ele é um meio de transmissão de energia, um lubrificante, um vedador e um veículo de transferência de calor. É o responsável pelo transporte de energia em sistemas hidráulicos.

Os primeiros sistemas hidráulicos usavam água e só com aumento da tecnologia, começou-se a usar óleos. A mudança ocorreu, pois, a água não podia assegurar as propriedades necessárias: primeiro de tudo, uma ação lubrificante, mas também a ausência de ação corrosiva e sedimentos, não evaporação em temperaturas mais altas e, portanto, uma temperatura de ebulição mais elevada. Estas propriedades podem ser encontradas em óleos minerais. Uma bomba de óleo pode funcionar em aproximadamente 2000 ciclos/min. isto quer dizer que ela pode ser conectada diretamente ao motor. Utilizar uma bomba d’água entre ela e o motor requer um redutor de velocidade, pois o número máximo de ciclos é de aproximadamente 200 (o motor não pode trabalhar diretamente em rotações lentas). A necessidade de um redutor leva a tamanhos maiores dos equipamentos inteiros, o que cria problemas de espaço. Além disso, enquanto que a água causa oxidação e corrosão, o óleo protege o material da bomba assegurando uma maior vida útil dos motores.

Do ponto de vista químico, óleos geralmente possuem temperaturas de ebulição mais elevadas do que a água, de modo que eles podem ser usados numa intensidade maior, aumentando a produtividade. A diferença de preço em se comprar óleo ao invés de água é certamente coberta pelas vantagens mencionadas aqui. O óleo mais comum usado em hidráulica é o de base mineral. Nos últimos tempos, está se tornando necessário utilizar fluidos amistosos ao meio ambiente. Estes fluidos são biodegradáveis e comumente chamados de bio-óleos. O uso deles está aumentando, substituindo os óleos minerais.

Basicamente, os bio-óleos podem ser divididos em quatro famílias, dependendo do material de base do qual eles são feitos:

1. À base de glicóis de polietileno;

2. À base de óleo de canola;

3. À base de ésteres sintéticos;

4. À base de água;

1. Á base de glicóis de polietileno – Esta família apresenta matéria prima disponível a um preço relativamente baixo e uma ampla gama de temperaturas. Contudo, estes óleos são solúveis em água e, portanto, eles podem deixar água no interior e danificar os motores onde eles forem usados. Além disso, eles não são absolutamente misturáveis com óleos minerais.

2. À base de óleo de canola – Estes óleos possuem matérias primas baratas e também uma boa compatibilidade com tintas. Infelizmente, o alcance de temperaturas operacionais não é muito grande devido às más condições de funcionamento em baixas temperaturas e baixa estabilidade em altas temperaturas. Eles são misturáveis com óleos minerais, mas esta mistura não é muito boa.

3. À base de ésteres sintéticos – Longa vida útil e um amplo alcance de temperatura são os grandes desempenhos desta família. O preço deles é mais alto do que os demais, mas a compatibilidade com a mecânica de sistemas hidráulicos também é melhor em comparação aos demais.

4. À base de água – Óleos à base de água são resistentes a fogo, são ambientalmente amistosos e aceitáveis, mas a temperatura máxima de serviço fica limitada.

A água ainda é usada em certas aplicações, principalmente onde ela é usada diretamente como fluido de trabalho. Mas o seu consumo é substancial: a limpeza com água e o jateamento com água são exemplos onde o fluido pressurizado executa a sua função e se perde. A principal diferença entre estas duas aplicações é o nível de pressão em que a água é usada. Enquanto aplicações de limpeza com água utilizam pressões de 100 até 400bar, o jato d’água alcança 1450 bar e o corte com água até 2000 bar. É claro que a primeira á para aplicações domésticas, enquanto que a segunda para aplicações industriais.

As recomendações para a melhor escolha do fluido hidráulico dependem do tipo de sistema adotado, potência ou de transporte do fluido. Existem muitos tipos de óleo e fluidos disponíveis, cada qual para um uso específico conforme suas propriedades químicas. Somente em aplicações hidráulicas existem dezenas de possibilidades. Um fluido hidráulico, por exemplo, de um trator agrícola precisará ter características diferentes das máquinas utilizadas em automação industrial de linhas de montagens de automóveis

Na hora de selecionar a mangueira deve-se assegurar a compatibilidade do tubo interno, da cobertura da mangueira, das conexões e vedações com o fluido a ser conduzido.

Para maiores detalhes sobre um determinado tipo de mangueira e sua equivalência química, entre em contato com uma de nossas unidades. Nossos técnicos estão aptos para lhe ajudar na correta seleção de produtos para sua necessidade.